segunda-feira, 30 de julho de 2018

DESCERRAMENTO DE PLACA DA TURMA DE LETRAS - LÍNGUA PORTUGUESA 2018






DISCURSO DE COLAÇÃO GRAU DA GRADUADA EM LETRAS - LÍNGUA PORTUGUESA - WESLAINE EVARISTO






Boa noite!
Inicialmente, gostaria de agradecer a todas as pessoas, pela apreciada presença: às autoridades, aos professores, aos estudantes, aos nossos amigos, aos nossos familiares e ao público em geral. Também gostaria de mencionar, com pesar, a fatalidade ocorrida com o discente do Curso de Medicina, Henrique da Silva Rosa, cujo suicídio sinaliza para a necessidade de apoio aos acadêmicos por parte da universidade, contra toda forma de preconceito e de intolerância.
Ser a representante de minha turma e de todas as turmas reunidas nesta solenidade, como oradora, nesta noite, é uma grande responsabilidade e, dada a grandiosidade do momento, uma grande honra.
Uma das razões de me sentir honrada é o fato de representar não apenas mais uma turma de Letras, formada pela UFMT, mas sim uma turma totalmente feminina, uma turma de mulheres fortes, inteligentes, cheias de coragem e, acima de tudo, humanas e sensíveis.  Também falo, evidentemente, em nome de outras turmas, constituídas de homens e mulheres, com as mesmas qualidades e desafios. Todos somos fortes, sim, porque chegamos até aqui e isto é uma vitória. O que nos espera daqui para a frente não sei, mas tenho certeza de que nós seremos capazes de enfrentar tudo de cabeça erguida, da melhor forma possível.
Nós, formandos aqui presentes, sei, passamos por grandes e inúmeros desafios, mas conseguimos vencê-los, cada um com sua particularidade. Assim como Camões narra em Os lusíadas a vitória dos bravos navegantes que em nome de sua amada terra a tudo suportaram e venceram, assim experimentamos nós, na turbulência que foi o período da nossa formação; mas vencemos e hoje estamos aqui, finalizando uma etapa.
Uma coisa que deve ser comum a todos nós: o nosso começo. Vocês se lembram como foram as descobertas, os medos, as exigências, os prazos curtos, enfim, nossa inexperiência; mas superamos tudo. Aprendemos, nos refazemos e vamos nos fazer e refazer muitas vezes ainda, afinal novos objetivos buscaremos...
Ao longo de nossa jornada, vimos que turmas sofreram baixas: alguns discentes trocaram de curso, outros mudaram de cidade, outros desistiram da faculdade; outros, ainda, decidiram seguir o curso sabendo que não iriam, talvez, atuar em sua área de formação. Todas essas vicissitudes fazem parte do processo. Vencido esse período de luzes e trevas, nossos projetos se tornaram mais profissionais e passamos a sonhar, a imaginar nosso futuro a pensar em projetos que possam melhorar a vida do próximo, nós, como educadores, psicólogos, profissionais da biblioteconomia.
Neste ponto, que podemos fazer por nossa sociedade, pelo mundo? Esperamos que muito. Nestes tempos difíceis, de turbulência política e de perdas de direitos sociais, vamos sonhar, vamos nos permitir grandes metas. Já mostramos que somos capazes de grandes coisas de grandes realizações é só olhar para trás e ver nossa mudança ao longo de nossa trajetória até aqui. A universidade nos proporcionou isso. Mudamos o nosso olhar sobre a vida.
Devemos sempre nos lembrar que o produto final de nosso curso não é nosso diploma, nem tampouco nosso projeto de graduação, mas, sim, nós mesmos, que agora saímos da universidade, modificados por suas provocações.
Para terminar, gostaria de citar as palavras de Carlos Drummond de Andrade que pressentem: “[...] a poesia deste momento / inunda minha vida inteira”.
Obrigada!
Weslaine Evaristo Soares
Rondonópolis, 22/03/2018

quinta-feira, 26 de julho de 2018

Escrita Criativa: Composição Poética dos discentes de Teoria Literária 2018

           

Miragem
Tenho temido, tudo contido

Desanuviado esse mirado desprovido

Às claras, do seu grado ultrajado,

Gemido fadigado

Às escuras, ansiedade fementido

Açodado por ti

Aturdido por mim

Eis alarido gemido

Sois mirrado!    



Allana  Lanark,Joelma, Rúbia Carla.



           
         A música

Música musicada ao ouvido

Música. Muda com muita altura

A música massa com uma pitada massacrada

A música muda, cantada na mais alta altura

Musga muda, a musga musicava

Cantada, alta e silenciosa

A música retrata

A música, retrai, revoa

A música, revolta, volta, molda

A música é música.  


             Wilton, Leiciane, Denyse



Morreu de sono, o sono do amor.

Num olhar sem luz que reflete a vida.

Estava no caixão como no leito de amor.

Em noite escura que clareia a vida.

Sobre tons suaves de melancolia em lugar de rico,

Mas pobre de riqueza.

Naquele certo dia que a gente nunca esquece

de gente que esquece da gente 
.
Com sentimento misterioso e bom, mas invejoso.

Pois é na brancura da alma

que se perde a calma!


Márcia Francisca, Márcia Francisca, Magna 



A  filha da mandrágora 

Deitada em uma maré de estrelas
  
numa overdose de sentimentos aflora, 

Sangrando vida - górgora!

Com sonhos crescentes 

Em uma sublime metáfora,

De amores pendentes. 

Em cumplicidade com a saudade  

Com uma dose de melancolia, 

E um toque de vaidade 

De uma memória tertúlia


Jhulyanna


Poema da dor

A dor é boa, a dor é ruim

Sofra, disse a dor

A dor é o que motiva, excita

Sofra, disse a dor

Dor pequena, dor grande

Dos pequenos e dos grandes

Sofra, disse a dor

E só haverá facilidade se souberes o que é dor

Pois sofra, disse a dor



Isabel, Karoline, Ana Paula, Cássio





Vento que traz vida que renova

sempre bem vindo em busca de vida

Vida que vibra por ser vivida

Vida que movimenta morre, renasce em seu ventre vira frutos

Quem dera fosse sempre vibrante, desejada, mansa...

O silêncio chega sedento, escuro, espera continuarás vida 
em busca de vidas...


Eudete




Ú vento...

E o vento vai levando

vento que alenta

agarra-me com as ventosas da tua alma

n’a alma calma

no ventre venturoso

da árdua dor


Ana Claudia, Clésia, Káthia, Luzia



                A casa verde

A casa é grande, a casa é pequena

A casa é Verde!

A casa é dura, a casa é mole.

A casa é verde!

A casa é desengraçada, a casa é graciosa.

A casa é verde!

A casa é dia, a casa é noite, aqui é luz, ali é breu.

A casa é verde!

A casa é velha, a casa é nova.

A casa é verde!

A casa é verde, não mais, desbotada.


Lindinalva, Sidney, Edson, João Paulo. 




                                  Poema do amor

                   O amor é devastador, o amor é acolhedor.

                   Ame, amador!

                   O amor é humor, o amor é dor,

                   aqui é opor, ali é propor.

                   o amor é sonhador

                   Ame, amador!

                   O amor cresce, o amor acaba.

                   aqui é sonhador, ali é encantador,

                   Ame, amador!

                   O amor seduz, o amor é pensador,

                   O amor te mata, o amor te salva.

                   Ame, amador!

                   Hélio, Nayara , Nicole. 




                          Mundo vazio
                              Aqui neste mundo vazio,

                             em meio a escuridão

                             me bate uma reflexão.

                             Que no meio deste mundo de imperfeição

                             não se pode ter proteção.

                             Que no meio deste mundo

                             repleto de constituições

                             seguimos em busca de uma perfeição!

                         Gisele, Ingrid, João Vitor, Makolyn.



         Mata a dor
A vida é boa, a vida é má;

A vida vive, a vida mata.

Mata minha dor!

A vida é curta, a vida é longa;

A vida é fria, e nada quente.

Mata minha dor!

Desloca a vida, a vida para;

A vida é triste, e tão feliz;

A vida é linda, a vida é falsa;

A vida é leve, a vida mata.

Mata minha dor!

Se não, nada restará de mim,

Mata a dor!

Gislaine, Raylinne Deynna. 



      

CURSO SESC - RONDONÓPOLIS























Atenção músicos instrumentistas e cantores de Rondonópolis!

Não fique de fora do maior evento de música de MT - Mostra de Música SESC MT/Roo, com uma super programação de CURSOS e SHOWS que acontecerá entre os dias 31/07 e 05/08.

Então, não perca tempo que ainda dá tempo para fazer sua inscrição e se programar para vir assistir os shows, que estão de arrasar!🎼🎤🗣💓

OFICINA IMPROVISAÇÃO COM PAULA VALENTE (SP)
31/07 a 04/08 | Ter a Sex das 18h às 22h, Sáb das 15h às 19h |Sala de Música | 2 Litro de leite | Informações e inscrições: http://bit.ly/cursoimprovisacaosescrondonopolis 

OFICINA CANTO POPULAR - TÉCNICAS E REPERTÓRIOS (RJ)
31/07 a 04/08 | Ter a Sex das 18h às 22h, Sáb das 15h às 19h |Sala de Dança | 2 Litro de leite | Informações e inscrições: http://bit.ly/cursocantopopularSescRondonopolis

A programação completa vc confere na nossa página no facebook.com/sescrondonopolis

Vem pro SESC! Curta! Compartilhe! E não perca nada!