sexta-feira, 31 de julho de 2015

INFORMAÇÃO SOBRE A GREVE NA UFMT - ASSEMBLÉIA DA ADUFMAT ÀS 14H



Hoje, a partir das 14h, ocorrerá Assembléia Geral dos docentes no Anfiteatro do Campus Universitário de Rondonópolis.
A Assembléia Geral discutirá a seguinte pauta:
Informes Gerais;
Avaliação de Conjuntura;
Avaliação da contra proposta do Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais;
Reafirmação da greve;
Eleição de delegado para o CNG.

Toda a Comunidade Acadêmica pode participar da Assembléia Geral, no entanto, apenas docentes sindicalizados podem exercer o direito de expor seus pontos de vista sobre a pauta e, sobretudo, votar sobre decisões. Docentes não sindicalizados e discentes que queiram expor opiniões devem solicitar tal direito à mesa diretora da Assembléia Geral que consultará os docentes sindicalizados sobre permitir ou não manifestações de não sindicalizados.

Propostas de pesquisas podem ser inscritas até 28 de outubro

Propostas de pesquisas podem ser inscritas até 28 de outubro

quarta-feira, 29 de julho de 2015

CARTA ENCAMINHADA À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA PELA SOCIEDADE BRASILEIRA PARA O PROGRESSO DA CIÊNCIA -SBPC

São Carlos, 16 de julho de 2015
SBPC-177/Dir.
Excelentíssima Senhora
Presidenta DILMA VANA ROUSSEFF
Presidência da República
Senhora Presidenta,
A Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) vem respeitosamente a vossa presença reiterar o pleito referente à continuidade do financiamento para educação, ciência, tecnologia e inovação.
A SBPC reconhece a necessidade do ajuste fiscal para buscar o equilíbrio nas contas públicas. No entanto, não podemos aceitar cortes no orçamento da educação e da ciência, áreas estratégicas para o desenvolvimento de qualquer nação, em especial o Brasil, que apresenta graves deficiências na educação em todos os níveis, e uma ciência ainda em construção. O Brasil como a sétima economia mundial tem a obrigação de investir, de forma continuada, nas áreas estratégicas para seu futuro: educação e ciência. Os impactos negativos de investimentos insuficientes e irregulares serão somente percebidos no longo prazo, causando o desmantelamento de um sistema que vem sendo desenvolvido e estimulado ao longo dos últimos 20 anos, como uma política do Estado brasileiro.
O financiamento à educação, ciência, tecnologia e inovação permanece como uma das grandes preocupações da comunidade científica e acadêmica.
O Ministério da Educação garantiu em nota pública a manutenção de 90% dos recursos para a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). No entanto, apesar da decisão extremamente importante de manutenção do financiamento das bolsas em andamento, o corte de 10% terá impacto direto no custeio (PROEX e PROAP) dos mais de cinco mil programas de pós-graduação espalhados por todo o território nacional, além de zerar o orçamento para capital. Esta situação inviabiliza o funcionamento rotineiro dos cursos de pós-graduação do país, com evidente prejuízo ao desenvolvimento científico. Serão afetadas ações como mobilidade para participação em bancas de avaliação, eventos científicos, coletas de campo, aquisição de insumos para os laboratórios, manutenção de equipamentos, entre outras. Ainda, resultará na suspensão do Edital Pró-Equipamentos, realizado anualmente e que é fundamental para a estruturação das Universidades e Institutos de Pesquisa de todo o país. Todas as instituições apoiadas pela CAPES serão fortemente afetadas pelo corte.
É importante lembrar, que os cortes significativos que foram realizados pelo Ministério da Educação buscando atender ao ajuste fiscal, afetaram desde a educação básica até o ensino superior, incluindo a formação de professores da educação básica e programas como Olimpíadas Científicas, Feiras de Ciências e Novos Talentos que envolvem milhões de jovens estudantes em todo o país.
Quando o Governo Federal propôs fazer sua parte nos objetivos de nos transformarmos em uma pátria educadora, a SBPC, sociedades científicas a ela associadas e um sem número de instituições – ligadas ou não aos temas da educação – e certamente milhões de brasileiros viram nesse slogan um fator de estímulo, crença e renovação de esperanças de que o Brasil estava dando um passo firme rumo à superação de seu déficit educacional. Com a confirmação do corte de verbas de custeio e capital para a educação, a sociedade recebe uma sinalização oposta à prioridade máxima do governo.
Como já mencionado, os cortes para atender ao ajuste fiscal também atingiram o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. A produção científica brasileira vem crescendo em número e qualidade. Mas a irregularidade no financiamento e a descontinuidade das políticas públicas poderão levar, em pouco tempo, à sua estagnação e atingirá, sobretudo, os jovens pesquisadores distribuídos por todo o País. Sem educação e ciência, não se cria tecnologia e não se faz inovação.
Reconhecemos o esforço que o MCTI vem empreendendo na busca de novas fontes de recursos. O financiamento de programas como o dos INCTs (Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia), edital Universal, Pró-Infra (Programa de Infraestrutura) da FINEP, e tantos outros, não podem sofrer cortes e descontinuidades. Reiteramos a necessidade urgente de retirar do FNDCT (Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) o financiamento do importante programa Ciência sem Fronteiras - que certamente está tendo acentuado impacto na nossa educação – pois esse Fundo não foi desenhado para esse propósito, e a de garantir novos recursos para esse relevante programa.
Senhora Presidenta, nosso pleito é, portanto, em favor de garantir o futuro do desenvolvimento de nosso país, baseado em um sistema educacional sólido e universal e no investimento contínuo na ciência, tecnologia e inovação, com recursos humanos altamente qualificados e infraestrutura adequada nas universidades, institutos e laboratórios de pesquisa. Comprometer a continuidade do que conquistamos até agora, é comprometer gravemente o futuro da Nação.
Esperamos poder contar com o empenho e a visão de estadista de Vossa Excelência, no sentido de retirar do Ministério da Educação e do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, as restrições impostas pelo ajuste fiscal, a fim de não comprometer os avanços na Educação e na Ciência brasileiras.
A SBPC se coloca à disposição de Vossa Excelência e aproveita a oportunidade para reiterar os protestos de alta estima e consideração.
Cordialmente,
HELENA B. NADER
Presidente da SBPC

INFORMAÇÕES SOBRE A GREVE NAS UNIVERSIDADES FEDERAIS BRASILEIRAS

Segundo o site do Andes, os docentes das universidades federais continuarão o movimento grevista durante o mês de agosto e intensificarão a luta e as negociações junto ao governo federal no “sentido de alcançar ganhos reais para a categoria”.
Até o momento, 41 sindicais já aderiram à greve, cujo objetivo é DEFESA DO CARÁTER PÚBLICO DAS INSTITUIÇÕES E A REVERSÃO DOS CORTES.
 Fazem parte das reivindicações:
1.                 Defesa do caráter público da universidade;
2.                 Melhores condições de trabalho e ensino;
3.                 Garantia da autonomia universitária;
4.                 Reestruturação da carreira docente;
5.                 Valorização salarial de ativos e aposentados.
Segundo Paulo Rizzi, Presidente do ANDES-SN, os desafios para a categoria a partir de agosto são:
1.                 Fortalecer a greve;
2.                 Forçar o governo no avanço das negociações;
3.                 Exigir o fim dos cortes nos investimentos para a educação.
Com respeito ao reajuste salarial, um dos itens da pauta de reivindicação, até o momento, o governo propõe reajuste salarial de 21, 73 % parcelado em 4 anos [2016-2019]. Essa proposta foi rejeitada pela categoria dos docentes, uma vez que ela não repõe as perdas decorrentes da inflação e nem reporá as perdas durante os quatros anos subsequentes.
                                       http://www.adufmat.org.br/portal/

terça-feira, 28 de julho de 2015

CHAMADA PARA PUBLICAÇÃO - ATÉ AGOSTO 2015

Chamada de artigos_ eLyra #6   poesia e aceleração

Orgs.: Ida Alves e Luis Maffei

O trabalho de muitos poetas contemporâneos é marcado por percepção acentuadamente crítica do espaço circundante modificado pela intensificação técnica e tecnológica. Tal intensificação tem provocado uma diferente relação com a natureza e um diverso modo de experimentar as paisagens, ou seja, estabelecem-se outras relações entre espaço e tempo, visualidade e subjetividade, a partir de experiências de aceleração, configurando-se, segundo Paulo Virilio, uma "estética do desaparecimento" ou "formas severas de alienação à luz da vida acelerada", como discute Harmut Rosa. Com essa orientação reflexiva e abordagem teórico-crítica interdisciplinar, em diálogo sobretudo com a Crítica de Arte, a Filosofia, a Sociologia, a Antropologia e a Geografia Cultural, convidamos investigadores a enviarem artigos sobre poesia e aceleração, poesia e velocidade, lirismo e excesso, lirismo e perda. O tema e suas ramificações poderá ser desenvolvido com foco em nossa contemporaneidade ou no diálogo com obras poéticas do passado próximo ou distante.

Aceitam-se artigos até 15 de agosto de 2015 e devem ser enviados paralyracompoetics@letras.up.pt. Os artigos serão sujeitos a peer review.

VII FALA OUTRA ESCOLA: O TEU OLHAR TRANS-FORMA O MEU - INSTITUTO DE EDUCAÇÃO - UNICAMP 2015

PROFA. MS. LEZINETE REGINA LEMES E AS ALUNAS TUTORAS JEANE MARIA RODRIGUES (4º ANO), ELISPAULA INÁCIO (4º ANO) E WESLAINE EVARISTO (2º ANO)

VII FALA OUTRA ESCOLA: O TEU OLHAR TRANS-FORMA O MEU - INSTITUTO DE EDUCAÇÃO - UNICAMP

PROF. MS. LEZINETE REGINA LEMES E A TUTORA JEANE MARIA RODRIGUES (4º ANO) APRESENTANDO O TRABALHO PRÁTICA DE PRODUÇÃO DE TEXTOS ACADÊMICOS [PROGRAMA TUTORIA/UFMT]

VII FALA OUTRA ESCOLA: O TEU OLHAR TRANS-FORMA O MEU. INSTITUTO DE EDUCAÇÃO -UNICAMP 2015





AS ALUNAS TUTORAS ELISPAULA INÁCIO (4º ANO) E WESLAINE EVARISTO (2º ANO) APRESENTANDO  O TRABALHO REFLEXÕES DE ALUNAS TUTORAS SOBRE SUAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NO ENSINO SUPERIOR [PROGRAMA TUTORIA/UFMT], SOB A ORIENTAÇÃO DA PROF. MS. LEZINETE REGINA LEMES.

segunda-feira, 27 de julho de 2015

CHAMADA PARA PUBLICAÇÃO - ATÉ AGOSTO/2015

CHAMADA REVISTA RECORTE V. 12, N. 2 (julho-dezembro de 2015)

A Revista RECORTE, publicação do Programa de Mestrado em Letras – Linguagem, Cultura e Discurso, da Universidade Vale do Rio Verde (UNINCOR), está recebendo textos para sua edição temática, Leitura de Poesia Brasileira, organizada pelos Professores Doutores Cilene Pereira (UNINCOR), Cristina Henrique da Costa (UNICAMP) e Luciano Cavalcanti (UNINCOR).

O que se objetiva, com essa edição, é fornecer ao público leitor um conjunto de análises e interpretações de textos poéticos brasileiros que possibilitem o acesso à linguagem complexa do poema. Nesse sentido, pede-se a seus colaboradores leituras de poemas de forma crítica, partindo de um referencial teórico-analítico das áreas de Literatura e Linguística, considerando aspectos estéticos, retóricos ou ideológicos que justifiquem sua análise e interpretação. 

Serão priorizados artigos que se articulem às linhas de pesquisa: 1. Literatura, História e Cultura; 2. Discurso e Produção de Sentido.

Prazo de submissão de artigos: 29 de junho a 31 de agosto de 2015.

Só serão publicados artigos inéditos, de pesquisadores doutores e/ou doutorandos, aprovados pelos pareceristas e que estejam de acordo com as Normas Editoriais.

Normas da revista: http://periodicos.unincor.br/index.php/recorte

Comissão Editorial

domingo, 26 de julho de 2015

PRATA DA CASA - HOMENAGEM!!!

ROSIANE CRISTINA GONÇALVES BRAGA
GRADUADA EM LETRAS/PORTUGUÊS PELO DEPARTAMENTO DE LETRAS/CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE RONDONÓPOLIS/UFMT
MESTRE EM SEMIÓTICA E LINGUÍSTICA PELA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO [USP] 2000
DOUTORA EM SEMIÓTICA E LINGUÍSTICA PELA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO [USP]
2006
LECIONOU A DISCIPLINA LINGUÍSTICA NO DEPARTAMENTO DE LETRAS DURANTE OS ANOS DE 2002 A 2011.

PUBLICAÇÃO DE PRATA DA CASA


quinta-feira, 23 de julho de 2015

EVENTO DE LINGUÍSTICA - UNICAMP - AGOSTO 2015



EVENTO DE LINGUÍSTICA SETEMBRO 2015


EVENTO DE LEITURA E LITERATURA - NOVEMBRO DE 2015

De 09 a 12 de novembro de 2015 na Universidade Estadual da Bahia - Salvador -BA
Maiores informações acesse o site

quarta-feira, 22 de julho de 2015

CHAMADA PARA PUBLICAÇÃO ATÉ 02/10/2015

REVISTA OPINIÃES - CHAMADA PARA O NÚMERO 8 
Opiniães: revista dos alunos de Literatura Brasileira propõe como eixo para seu número 8 o tema Literatura em cena. Convidamos pesquisadores, alunos e professores a pensar os diversos desdobramentos, no Brasil, da relação entre literatura e teatro, cena e texto, representação, encenação e performatividade.
Historicamente problemática, a relação entre teatro e literatura assume as mais diversas configurações. Na Poética, Aristóteles julgava o texto da tragédia mais importante do que o espetáculo; na experiência teatral contemporânea, essa noção pode-se encontrar invertida – como ocorre no caso dos textos teatrais que, nascidos diretamente da cena ou da improvisação dos atores, já não são criação autoral, mas parte de um processo colaborativo.
Na historiografia literária brasileira não é menos problemático o binômio teatro e literatura. Em Formação da literatura brasileira, por exemplo, Antonio Candido não inclui no cânone nacional obras de dramaturgia e atribui essa ausência à necessidade de o crítico ter “especialidade amparada em conhecimentos práticos”. Na mesma linha João Roberto Faria, em “O lugar da dramaturgia nas histórias da literatura brasileira”, aponta que desde os anos 1960 a dramaturgia brasileira é estudada “com parcimônia, como se fosse um apêndice de nossa história literária”, o que o autor igualmente credita à especialização dos estudos literários e à “falta” de ferramentas que um estudioso da literatura teria para aplicar a obras híbridas e que se reatualizam em cada nova apresentação, como são as teatrais e performáticas.
Considerando o campo aberto para estudos e as possibilidades de se ampliarem as reflexões críticas brasileiras, a Opiniães dedica seu número 8 a essas e outras questões possíveis, atinentes à relação entre literatura e teatro. Serão aceitas contribuições que explorem os desdobramentos da Literatura em cena: a escrita dramatúrgica, a encenação, a adaptação de obras não dramáticas ou estrangeiras para os palcos nacionais, a teoria e a crítica teatral no Brasil, a recepção e a performance – além de leituras de obras e autores em particular.  
A revista tem periodicidade semestral. Sua versão impressa é distribuída gratuitamente em bibliotecas, departamentos, faculdades, universidades, instituições de pesquisa e difusão cultural. A versão online é publicada na íntegra, em PDF. Os textos podem ser encaminhados para as seções Ensaio, Estudos, Documentos (traduções, entrevistas, manuscritos etc.), Resenhas (de publicações afins às áreas de Literatura e Humanidades em geral, sem restrição quanto à data de publicação da obra, desde que fundamentada a relevância da recepção), Textos Artísticos e Correspondência de Leitores.
As contribuições para o número 8 serão recebidas até o dia 02/10/2015.

INFORMAÇÃO SOBRE A GREVE NAS UNIVERSIDADES FEDERAIS BRASILEIRAS

Negociação avança nos benefícios, mas MPOG mantém parcelamento do reajuste

Em reunião com o Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (SPF’s), no dia 20/07, a Secretaria de Relações do Trabalho do Ministério de Planejamento, Orçamento e Gestão (SRT/MPOG) manteve a proposta de reajuste salarial de 21,3%, parcelado em quatro anos. Mas, apesar da falta de avanço no índice de reposição do poder de compra dos SPF’s, a força da mobilização das categorias do funcionalismo pressionou o governo a apresentar resposta a outros itens da pauta, como a revisão dos benefícios, de acordo com a inflação acumulada no período, incluindo o ano de 2015.
 
Para os auxílios alimentação e saúde, sem reajuste há três anos, o governo propôs correção de 22,8%; o primeiro passaria a ser de R$ 458 e o último proporcional por faixa etária, sendo o mínimo R$ 101 e o máximo R$ 205. Já o auxílio creche, desde 1995 sem correção inflacionária, o acúmulo representa um reajuste de 317%, variando de acordo com os valores praticados em cada estado.
Segundo Paulo Rizzo, presidente do ANDES-SN, um dos pontos de discussão na mesa foi o fato do governo apresentar uma proposta que inclui a inflação do ano de 2015 para os benefícios, mas não aplicar a mesma lógica para reajuste dos salários. “A proposta que ele mantém na mesa, de 21,3%, dividido em quatro anos, não repõe nem a inflação do período”, criticou. O presidente do ANDES-SN contou que a única novidade em relação à reposição das perdas salariais foi a sinalização por parte do governo da possibilidade do acordo conter uma cláusula de renegociação em 2017, caso a inflação atinja um determinado patamar, o qual não foi definido ainda.
“A reunião demorou porque as entidades pediram vários esclarecimentos em relação a essas contradições e reafirmaram que o governo tem que rever essa proposta, pois, numa negociação salarial, o mínimo a ser apresentado é a inflação do período. Todas as entidades reafirmaram a posição de que não aceitam o reajuste parcelado em quatro anos, porque isso significa corroborar, previamente, com o confisco dos salários e a perda do poder aquisitivo dos servidores”, disse.
De acordo com Rizzo, um dos momentos de maior tensão na negociação foi quando o secretário da SRT/MPOG, Sérgio Mendonça, afirmou que o acordo era um pacote, vinculando os reajustes nos benefícios à aceitação do parcelamento da reposição salarial. Os servidores cobraram também resposta aos outros itens da pauta unificada de reivindicações, como a negociação coletiva, liberação de dirigentes para atividade sindical, entre outros.
“Isso é o jogo da negociação. Agora, se nós não chegarmos a um acordo, a responsabilidade de, eventualmente, não ter reajuste para os servidores é integralmente do governo e não dos servidores, porque é o governo que tem o poder de propor reajustes e também de enviar os projetos de lei para o Congresso”, afirmou Rizzo.
Durante esta semana, ocorreram algumas reuniões setoriais entre as diferentes categorias do funcionalismo e o MPOG para tratar das pautas específicas. O Fórum deve voltar a se reunir com o Ministério do Planejamento na próxima semana para apresentar uma resposta.
Fonte: ANDES-SN

Convite de Evento de Literatura


Página inicial › Pós-Graduação › Cursos › Letras › Colóquio Letras
Apresentação

V COLÓQUIO DA PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS

15, 16 e 17 de setembro de 2015

sergei-arsenevich-sonhos-de-verao.jpgSonhos de Verão  (1915), Sergei Arsenevich                     

Em sua quinta edição, o Colóquio da Pós-Graduação em Letras da UNESP/Assis procura proporcionar aos alunos de Mestrado e Doutorado a oportunidade de ouvir especialistas de cada uma das três linhas de pesquisa do Programa, a saber: 1) Fontes Primárias e História Literária2) Leitura, Crítica e Teoria Literária e 3) Literatura Comparada e Estudos Culturais. Dessa forma, pretende-se contribuir para a formação de todos os alunos de modo ao colocá-los a par das mais recentes tendências dos estudos literários.

Objetivo igualmente importante é o de favorecer a divulgação e a discussão dos projetos de pesquisa em desenvolvimento na Faculdade de Ciências e Letras de Assis, em todos os níveis, mediante a apresentação de comunicações, painéis e, pela primeira vez, exposição e avaliação de projetos de doutoramento. Com essa nova modalidade de participação, os alunos recém-aprovados no processo seletivo do curso de Doutorado poderão refinar os seus projetos de tal forma que possam submetê-los à FAPESP com maiores possibilidades de aprovação. Trata-se de evento bianual do Programa de Pós-Graduação em Letras, que abre aos alunos dos cursos de Mestrado e Doutorado a oportunidade de divulgar suas pesquisas e entrar em contato com pesquisadores de outras universidades brasileiras.
Como o Seminário de Estudos Literários (SEL), principal evento bianual do Programa, contempla alternativamente as três linhas de pesquisa, o Colóquio da Pós-Graduação em Letras franqueia a todos os alunos participação livre nos anos intermediários (anos ímpares). Acrescente-se ainda que o Colóquio recebe importante contribuição dos alunos, que colaboram de modo ativo na organização e realização do evento.

domingo, 19 de julho de 2015

CONTRACAPA ORIGINAL DE OTELO, O MOURO DE VENEZA, DE SHAKESPEARE


FALAS DAS PERSONAGENS DE OTELO, O MOURO DE VENEZA

“Não sou o que sou” [Iago]
“Chorar uma desgraça consumada e desaparecida, é o meio mais seguro de atrair outra desgraça nova. [Doge]
“As palavras não passam de palavras e nunca ouvi dizer que num coração magoado fosse possível penetrar pelo ouvido” [Brabância]
“Estupidez é viver quando a vida é um tormento; e, aliás, temos a receita para morrer, quando a morte é nosso médico.” [Rodrigo]
“Se a balança de nossas existências não tivesse o prato da razão como contrapeso ao da sensualidade, o sangue e a baixeza de nossa natureza nos conduziram às mais desagradáveis consequências.” [Iago]
“O amor é simples concupiscência do sangue e uma tolerância da vontade...” [Iago]
“Vós vos levantais para vadiar e ides para cama para trabalhar” [Iago]
“Porque minha alma sente uma felicidade tão absoluta que tenho medo de que não haja um outro maravilhamento semelhante a este, no porvir desconhecido de meu destino.” [Otelo]
“Quando o sangue fica amortecido pela ação do prazer, para inflamá-lo novamente e para dar à saciedade novo apetite, é preciso nova sedução nas formas, simpatia nos anos, modos e beleza ...”[Iago]
“A velhacaria só é vista em pleno rosto quando está em ação” [Iago]
“A reputação é um preconceito vão e falacioso que se adquire, comumente, sem mérito, e, sem razão, se perde.” [Iago]
“Ó Deus, será possível que os homens introduzam um inimigo na própria boca, para que ele lhes roube o cérebro?” [Cássio]
“Quando convenientemente usado, o bom vinho é um bom companheiro caseiro” [Iago]
“Sabes perfeitamente que operamos pela inteligência e não pela magia; e a inteligência está submetida às dilações do tempo” [Iago]
“O prazer e a ação fazem as horas parecerem breves” [Iago]
“Os homens deveriam ser o que parecem; ou praza ao céu que nenhum deles pareça o que não seja!” [Iago]
“O bom nome para o homem e para a mulher, meu caro senhor, é a joia suprema da alma” [Iago]
“Ô meu senhor, tomai cuidado com o ciúme! É o monstro de olhos verdes que se diverte com a comida que o alimenta” [Iago]
“Não! Para mim, ficar em dúvida, é ficar resolvido” [Otelo]
“É a triste sorte de toda prostituta; enganar muita gente e acabar sendo enganada por um só” [Iago]
“Ao vencedor, o riso” [Otelo]
“Ó demônio, demônio! Se as lágrimas de uma mulher pudessem fecundar a terra, cada lágrima que ela deixasse cair viraria um crocodilo” [Otelo]
“Se não é o que deveria ser, queira o céu que ele fosse” [Iago]
“És tão semelhante a um anjo do céu que os próprios demônios temeriam apoderar-se de ti” [Otelo]
“Tuas palavras e tuas ações não possuem o menor parentesco entre si” [Rodrigo]
“Por minha fé, como são loucas nossas mentes!” [Desdêmona]
“Que o céu me inspire costumes que me permitam não tirar o mal do mal, mas servir-me do mal para melhorar” [Desdêmona]
“O crime acabará sempre falando, mesmo que a língua permaneça muda” [Iago]
“É morte contra a natureza aquela que mata por crime de amor” [Desdêmona]

“Mesmo que ele tivesse tantas vidas quantos cabelos tem, minha grande vingança teria estômago para todas elas.” [Otelo]